sábado, 11 de julho de 2009

Homens de barro

Homens são feitos de barro.
Diluem-se por dentro
quando nos caminham
quando nos retiram
do ventre a vida
e depois
em meio aos botões e pregas de nossas roupas
perdem-se como poeira
acabam como grãos de areia
no biquini do último verão.

4 comentários:

  1. Susanna, voe até a lua... Vou adicionar no meu blog. beijo, Sidnei

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela visita. Venha sempre! Este é o início da viagem.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Você é mestra na arte de poetar.
    Mas os homens não são de barro, Susannah, são de carne, osso e sangue.
    Por isso é que se perdem nos botões e pregas de suas roupas, mas não se esfarelam como areia no biquini do último verão e sim derretem-se como picolé, com o caldo, agora aquecido pela pele tépida, escorrendo por todos os regos.
    Um abraço, caríssima.

    ResponderExcluir
  4. O que uma metáfora não suscita...
    Obrigada pela visita.

    ResponderExcluir

Deixe suas pegadas por aqui