quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Por vias desusadas

Ando assim, com Gregório sussurrando nas minhas curvas cerebrais o poema que logo vai, carregando-me junto com ele. "Não é fácil viver entre os insanos" e haverá de "ser louco c'os demais que ser sisudo"... Carpe diem!

Carregado de mim ando no mundo
E o grande peso embarga-me as passadas;
Que, como ando por vias desusadas,
Faço o peso crescer, e vou-me ao fundo.
O remédio será seguir o imundo

Caminho, onde dos mais vejo as pisadas,
Que as bestas andam juntas mais ornadas,
Do que anda só o engenho mais profundo.
Não é fácil viver entre os insanos,

Erra quem presumir, quem sabe tudo,
Se o atalho não soube dos seus danos.
O prudente verão há de ser mudo,

Que é melhor neste mundo, ó mar de enganos,
Ser louco c’os demais que ser sisudo.

2 comentários:

  1. 'Hoje me dedico a devorar nos lírios as serpentes que me habitam.'

    Sempre me chamam a atenção as autodefinições...Poemas, algumas delas. Como a frase que destaquei aí.

    Gostei muito de seu blog e de sua maneira de dizer as coisas. Já desembarquei aqui.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Susannah! Esbarrei em você lá no "Pele em pele" e acabei por essas vias.

    Valeu pela réplica!

    Abraço!
    Henrique

    ResponderExcluir

Deixe suas pegadas por aqui