quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Amantes

Ah os amantes!
Lânguidos piedosos devotos
(de si mesmos)
entregues ao abandono
(suas venéreas e áureas presas).


Como espelhos se devoram
no infinito de suas imagens
(retina de seus humores).

Depois,
desligam a TV.

2 comentários:

  1. " COMO ESPELHOS SE DEVORAM"...
    Ahh...amores e humores, sempre fertilizando bons poemas!
    Muito bom vir aqui sempre;)
    Bjos!

    ResponderExcluir

Deixe suas pegadas por aqui