sábado, 21 de novembro de 2009

Mulheres em curvas
derramam-se em carnes
volumes de tempo
nódulos de nuncas
excessos
de si mesmas.


Nas suas bastanças
ondulam olhares
humores de chuva
ao sol quente
das carnes.

Um comentário:

  1. Prezada Susannah, parabéns pelo blog! Seja bem vinda em meu Poesia Diversa: www.poesiadiversidade.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe suas pegadas por aqui