terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Tela branca

Foto clicada por esta gaivota num pouso longo e demorado em Bourke, Austrália.


Sob o branco
a luz
sombras e curvas
cinema
grafo de peles
e poros
tela branca
nódoas
promessas
girassóis.

Sob a trama
olhospestanas
pele em ondas
e sua voz sob a sombra
cega
ceifa
meus girassóis.

6 comentários:

  1. [palavra é busca e resposta; palavra é a verdade reposta pelo mundo em dúvida]

    um imenso abraço, Susanah

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  2. Uau !!!
    E eu que nem sabia que você tem este blog !!!
    Ou você é muito mineira ou eu que não tenho nada entre uma orelha e outra...
    Já estou seguindo..
    Beijãoooo,
    Chico

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema! Beso,

    Claudio Daniel

    ResponderExcluir
  4. Belo poema! Esses girassóis... deixa pra lá...
    Tem até comentário do Claudio Daniel aí, o Grande.
    Começo o mestrado em literatura na UFMS e conheci seu blog por um email que a Sandra Hahn me mandou.
    Te sigo.

    ResponderExcluir
  5. Esses girassóis... Casa, sinta quem lê, como diz o poeta! rsrsr Obrigada por ter aterrissado por aqui. Um beijo!

    ResponderExcluir
  6. Interessante painel que absorve a luz intensidade e a opacidade das palabras, as ações e intervalos!

    ResponderExcluir

Deixe suas pegadas por aqui