quarta-feira, 27 de julho de 2011

noite insana

noite insana

sonda insone

anoite nunca

some anoite

insoneassola

assomaenunca

some anoite

insanassalta

enunca some

assola enada

enunca some

4 comentários:

  1. Este poema, Fred, é dedicado a você, por isso o lembrou. Mais ainda: é dedicado a sua poesia que sabe o nada mais largo onde a noite deposita tudo e faz disso memória do tempo. Bjs!

    ResponderExcluir
  2. passando por aki para que a hora passe e eu a perca... que mistério o jeto de se estar nestes espaços digitais...

    ResponderExcluir

Deixe suas pegadas por aqui