quinta-feira, 21 de julho de 2011

Para um dicionário de indefinições

Volpi aqui em close de formas. Pintor inteligente chega perto e arrisca a tela na indefinição da paisagem
Esta gaivota anda filosofando entre um vôo e outro. E tem percebido que no mundo as definições asseguram um toque dramático pras coisas. Mas como gaivota não é ser humano, ela não sabe muito bem definir. Ela sabe voar. Por isso criou um dicionário de indefinições. Por mais que os pontos finais estejam lá, tudo é matéria de reflexão. Andou tuitando umas coisinhas aqui e acolá, pois sentia falta da síntese necessária dos tempo atuais. Gente muito analítica tava dando sono...
1.
linguagem
vírgula enroscada
na língua
silêncio
na garganta

2.
linguagem entre as coxas
naufrágio
de bocas

3.
em paraty
perdi
suas pernas
entre as minhas
pedras

4.
O verbo criou o homem.
Corrompam o homem!
E a verba foi enviada.


5 comentários:

  1. ...dá sono mesmo... e a gente cabe tão bem na indefinição compacta... um hiperlink q abre a página dentro da gente rsrs

    ResponderExcluir
  2. Oi Susanna! Li o teu comentário lá no "Nós da Poesia" e acabei te encontrando por aqui! Adorei, adorei! Muito lindos os teus escritos! Sigo-te! Beijão...

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pela visita e pelas pegadas... seguimos em frente! bjs, Daniela!

    ResponderExcluir
  4. acho que seu blog tem tudo a ver com Confidências de Jokasta...
    Adorei.
    beijos
    elaine pauvolid

    ResponderExcluir
  5. dicionário de indefinições é uma imagem tão propícia... indefinições q definem... Ah! gostei tanto desse!!! :)

    ResponderExcluir

Deixe suas pegadas por aqui