quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Confabulando

Esta gaivota desanda suas andanças, dá mil voltas, retorna e de novo avança. Pura dança sem roteiro, ao sabor das nuvens que se desfazem a cada mergulho de bico e popa... O post anterior era pra sair mais certinho, mas empreguicei aqui, emburrei, quis saber não de tanta colagem, copiagem, olhagem, veirificagem. Às vezes a gaivota esprenguiça, fica muda. Gaivota tem pressa de falar logo o que lhe vem à vista. Por isso acontece o empastelamento, até dos pensamentos.

Gaivotinha, quando pisca pra areia e encontra um boto lindo, se desgoverna. Sabe mais não. Eu não sei. Só sei que desejo. Perder-me em mim para te encontrar assim. Puro sonho de outras eras. Primaveras de verão.

Um comentário:

  1. como não tem curtir aki, levei pro face! rsrs vc faz o q quer coa palavra e fica perfeito :) Mas é pq tem já tem o abdômem definido... rsrs bjos!

    ResponderExcluir

Deixe suas pegadas por aqui