sábado, 19 de novembro de 2011

Marugem

Monet entre as asas, sempre.

As coisas surgem
do caule da gente
insurgem
marugem
de esponjas
quais monjas
silenciosas.

2 comentários:

  1. "As coisas surgem do caule da gente" que expressão maravilhosa essa!

    ResponderExcluir
  2. Lindas pinceladas com as palavras. De fato, as coisas surgem do caule da gente.

    ResponderExcluir

Deixe suas pegadas por aqui