quinta-feira, 13 de setembro de 2012

No regresso do verso da cidade avessa

Gaivota teve o coração emudecido quando se deparou com o abraço frio e o olhar fixo que se dirigiam para ela... 
O medo veio logo após...

Toda São Paulo a que volto
me volta,
pálpebras baixas,
uma nuvem vaga.

Toda São Paulo a que volto
deságua
no confronto
a última lágrima.

3 comentários:

  1. um dia essa são paulo te amarra sem lágrima :P
    e eu vou esperar, rsrs

    ResponderExcluir
  2. É lindo! Mas o poema que diz ama ou não ama a São Paulo? Fiquei na dúvida.

    ResponderExcluir
  3. Taí algo pro leitor descobrir, Marina... Bjs!

    ResponderExcluir

Deixe suas pegadas por aqui