sábado, 30 de março de 2013

A dois

Gaivota ficou perdidinha diante de tanta sedução...

Eu aqui querendo tomar café
e você me dando água na boca

versos terçados

Magritte, mon amour, l'art c'est la guerre contre les mots dans la bouche d'un homme sérieux!

poema pururuca
pica a rima
e fica duka!

poema ao forno
receita nova
com verso longo

poema instantâneo
em pé de página
300 por ano

poema lazuli
serpente na certa
e um poeta lacustre

de dentro da alma
poema talhado 
pra morrer

poema traduzido
papo regado
a corpo de delito

poema acabado
tesoura na mão 
e um verso lesado

quarta-feira, 27 de março de 2013

refeita

Eram assim tão suculentas ... a gaivota não resistiu... 
bicou todinhas :-P

Lentilhas nos olhos as linguiças e sorves no caldo quente seus nódulos de gordura branca até desfalecerem nas papilas. Lentamente. Como as horas. Nos ponteiros. Exauridas.

inspirarção

tanto ar que nem sei como respirar...
(gaivota no ar, em Paris)

ar
falta
ar
salta
ar
mata

calma

domingo, 24 de março de 2013

Falo demais


Linda na sua brutalidade de pedra, a mulher acocorada de Rodin rasgou o olhar da gaivota...

falo de vulvas
falo de bocas
falo de poucas
e boas