quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Cravo vermelho

O caminho torto, pedregoso, rústico. Lá embaixo o encontro. A vida é um roteiro áspero. Muitas penas deixadas nos cactos; muitos cacos espalhados. 
Muito medo. Muito vermelho por dentro. 

Cravo.

Dor certa e reta
navalha na testa
agulha na têmpora:
ósculo cor
rupto abrupto.

Vermelho.

Rompe surta
dor cor 
rompida:
cápsula
ínsula
de vida.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

on part

assinado: mar feroz amor
gaivota sofreu

part
ida

à espera e à deriva
como um lenço ao longe
a cena assina

sino úmido
lusco-fusco
som pregueado no branco
punho abrupto de pedra

réstia de tempo
que se engole
sem pressa


Cilada

L'incertitude du poète, de Chirico. C'est à moi aussi. 
Entre a natureza-morta de bananas e dorso nu, a gaivota ficou de olho na locomotiva 
e correu pra ver se dava tempo de pegar 
o último vagão.

Poema de pavio
curto
Poema de rabo
longo
Um explode 
no espaço
Outro expira
de longe
Poema curto
tarja preta
Poema longo
homeopático
Um te engole inteiro
O outro aos bocados.