terça-feira, 16 de dezembro de 2014

natureza morta

A gaivota flanou à noite, solitária, e se assombrou com as histórias
de Augusto dos Anjos. Pousou no seu ombro e prometeu voltar.
(foto da Exposição Esdrúxulo, da Casa das Rosas, SP, dez/2014)


Os ossos se foram
com as carnes frescas que o enterraram.
Cada um pro seu lado.

A tumba aberta
de queixo caído.
Uma caveira cega dormita 
pensativa sobre seu destino 
desencarnado.

Do oco do antes
um olho calvo arregala
luz difusa de um vagalume
batendo as asas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe suas pegadas por aqui